• Assessoria

Sandro Alex destaca a gestão estratégia do governo Ratinho Junior na infraestrutura e logística

O quadro Café com Prosa, do programa Gugu Bueno e Você do sábado (3), na Rádio Colmeia, teve como entrevistado o secretário de Estado de Infraestrutura e Logística do Paraná, Sandro Alex.


Comandando uma das secretarias mais exigidas do Governo do Estado, sobretudo pela natureza de sua finalidade, Sandro Alex, deputado federal licenciado e secretário de Estado de Infraestrutura e Logística do Paraná, foi o entrevistado do quadro Café com Prosa, do programa Gugu Bueno e Você, transmitido pela Rádio Colmeia neste sábado (3) e pelas redes sociais

.

Sandro Alex destaca a gestão estratégica do governador Ratinho Junior no setor de Infraestrutura e Logística, na nova concessão dos pedágios e nos investimentos em todo o Paraná, sobretudo na Região Oeste. Ele também conta um pouco de sua trajetória no rádio e como iniciou sua vida pública na política.


Quem é Sandro Alex?

Casado e pai de três filhos, Sandro Alex é advogado, formado na Universidade Estadual de Ponta Grossa, com curso de Liderança Política pela Universidade Georgetown, nos Estados Unidos. Ele também é radialista e foi eleito deputado federal por três mandatos (2010, com 95.840 votos; 2014, reeleito com 116.909, e reeleito em 2018 para o seu terceiro mandato como deputado federal com 124.512. Em 2019 aceitou o convite do governador Ratinho Junior para ser o secretário de Infraestrutura e Logística do Estado do Paraná.


De origem humilde, Sandro Alex conta que seu pai era um feirante e sua mãe dona de casa. Eles construíram a vida na feira, mas o pai tinha uma boa voz e um dia pensou em trabalhar em uma emissora de rádio, setor que atuou nos anos de 1960 e 1970.


[Meu pai começou a construir sua história na feira e no rádio. E eu e o meu irmão, seguimos os mesmos passos. Ele trabalhava no rádio, nós estudando e auxiliando naquele momento como office-boy, como rádio escuta. Naquela época você podia trabalhar com 14 anos. Eu tirei minha carteira de trabalho com essa idade como rádio escuta”, lembra.

Vida Política

Junto com o irmão Marcelo Rangel, que depois se tornou prefeito de Ponta Grossa, fizeram sucesso no rádio ao longo dos anos, mas não eram políticos. Porém, devido a uma demanda por UTI para crianças no hospital de Ponta Grossa, a situação acabou levando Sandro Alex e Marcelo Rangel para a política.

“Em 2006 nós entramos em defesa para que a região tivesse UTIs para criança e começamos a cobrar isso. E nos disseram: ‘isso aí é para políticos e vocês não são políticos. O que vocês estão se metendo nisso’, [foi quando decidiram entrar para a política]”, conta o secretário.

Marcelo Rangel, em 2006, foi eleito deputado estadual. Em 2010 Sandro Alex foi eleito deputado federal e Marcelo Rangel foi reeleito deputado estadual; em 2012, Marcelo Rangel foi eleito prefeito de Ponta Grossa; em 2014, Sandro Alex foi reeleito deputado federal; em 2016, Marcelo Rangel se reelegeu prefeito; em 2018, Sandro Alex foi reeleito como deputado federal. Questionado sobre o segredo para se reeleger e sempre com uma votação superior a anterior, o secretário responde de forma pontual.

“O trabalho! A população reconhece quem trabalha. Não é fácil, porque na primeira eleição as pessoas votam em uma esperança, mas na reeleição, votam no que você fez, no que você representa, no trabalho que desenvolveu”, enfatiza Sandro Alex.

Secretaria

Depois de três mandatos seguidos como deputado federal, Sandro Alex, após reeleito em 2018, no início de 2019 recebe o convite do governador Ratinho Junior, que assumia o mandato naquele momento, para comandar a Secretaria de Infraestrutura e Logística.

“Eu quero, pela primeira vez, fazer um agradecimento: eu quero agradecer ao governador Ratinho pela oportunidade. Eu disse a ele por três vezes que tinha outras pessoas com mais bagagem do que eu para assumir a pasta, mas ele reiterou o pedido. Eu nunca pude dizer a ele ‘muito obrigado’ e pela primeira vez eu quero dizer isso aqui: muito obrigado por essa oportunidade”, agradece o secretário.

Ele lembra que ao assumir a pasta precisou colocar a casa em ordem primeiro, para depois começar a trabalhar.

“Nós assumimos uma secretaria com graves problemas de corrupção, mergulhada na lava-jato. Nem os computadores estavam presentes [nas salas]”, lembra.

Um dos primeiros pensamentos de muitas pessoas era se não seria mais prudente o governador colocar um engenheiro na pasta de infraestrutura ao invés de um advogado.


O interessante é que nós não tínhamos problemas de engenharia na infraestrutura e DER, nossos problemas eram jurídicos, de polícia, problema envolvendo compliance e decisões judiciais”, recorda Sandro Alex.

O secretário conta que foi necessário primeiro reconstruir a imagem da Secretaria de Infraestrutura e Logística, desgastada por estar mergulhada em problemas jurídicos. “Eu trouxe uma equipe de engenheiros, que hoje compõe os quadros da secretaria, mas nós tivemos que fazer uma reconstrução dessa imagem da secretaria”, comenta.


Estado Logístico

Contudo, Sandro Alex explica que os desafios maiores ficaram para o governador Ratinho Junior.

“Em todos os setores: rodoviário, ferroviário, aéreo, portuário, concessões, as discussões de pedágio e de renovação ou não, ficaram para o governador Ratinho Junior. Então nós nos debruçamos ao longo dos primeiros meses para construir, primeiro um banco de projetos, com apoio dos deputados, porque nós não tínhamos projetos para podermos nos debruçar sobre eles. Começamos a reconstruir o que o governador chama de “Paraná: o maior Hub logístico do Brasil”. Ele tem isso muito claro, que o Paraná tem o potencial de ser um estado logístico”, enfatiza.

Ponte Brasil/Paraguai

O primeiro projeto que Sandro Alex iniciou foi no Oeste: a segunda ponte Brasil/Paraguai, sendo nesse momento que o Governo do Estado estabeleceu uma aliança sólida com o governo federal e com a Itaipu Binacional, considerando que até então a Itaipu sempre foi muito presente no Oeste, mas em pequenos projetos, não em grandes obras.

“Nós iniciamos com a maior delas, a segunda ponte entre Brasil e Paraguai. Quem está construindo a ponte é o governo do Paraná. O projeto é federal e o dinheiro é da Itaipu, mas a gestão da obra é do governo Ratinho Junior”, salienta Sandro Alex.

Ele ressalta que essa parceria com o governo federal e Itaipu abriu uma porta de oportunidades, que levaram o Estado a trabalhar novas obras na região Oeste em conjunto com a Binacional.

“O bom relacionamento do governador Ratinho com o governo federal fez com que a gente pudesse discutir novas rodovias, ampliação de capacidade, duplicações, novas frentes, e hoje nós estamos somando, só com a Itaipu, R$ 1,5 bilhão que estão sendo conduzidos pelo governo do Estado do Paraná, principalmente na região Oeste”, enfatiza.

Trevo Cataratas

Um segundo momento considerado importante pelo secretário e decisivo foi a participação de uma grande negociação com o Ministério Público Federal para definir a retomada de obras antigas que estavam paradas ou nem haviam saído do papel.

“O governo Ratinho não é um governo investigado, ele é um governo colaborador e nós estávamos então tratando do passado com a visão no presente, ciente do que tem de ser feito. Queremos devolver à população um pouco daquilo que lhe foi tirado e quando fomos informados que iríamos então fazer as negociações e quais eram as obras e o valor que o Ministério Público Federal nos deu, automaticamente eu disse: Trevo Cataratas em Cascavel”, lembra o secretário.

Uma obra complexa, sem procura das empresas para executá-la porque ela exigia um projeto muito difícil e um tempo de execução muito maior.

“É importante deixar claro para a população, nós não somos nem coniventes, nem omissos. O governador vai buscar reparação de cada centavo do dinheiro que a população e entende isso como um dever para com os usuários pelos anos e pelos pagamentos feitos, mas essa obra nós vamos entregar”, garante Sandro Alex.

Pedágio

Um debate que vem acontecendo, principalmente ao longo desse ano, envolve a concessão dos pedágios, sendo articulada pelo governador Ratinho Junior, com o acompanhamento do secretário de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, no convencimento do presidente Bolsonaro sobre o melhor modelo para o Paraná.

“A construção de um assunto tão relevante se deu através de lideranças do Paraná todo, conduzidas pelo governador Ratinho Junior, junto com o setor produtivo, com a Assembleia Legislativa do Paraná, prefeitos, vereadores, associações comerciais, sindicatos rurais, enfim, todos participaram efetivamente desse processo com o governo federal”, comenta.

Ele destaca que o governador Ratinho sempre foi muito claro que ele queria para as novas concessões o menor preço garantido transparência.


Como nós temos um bom relacionamento com o governo federal e com a Itaipu, o governador mantém um diálogo, mas muito firme. Nunca abriu mão da sua convicção de que ele queria o melhor modelo. Porém, ele preferiu dar a oportunidade ao governo federal para construir o modelo que chegasse naquilo que o Paraná defendia”, esclarece o secretário. “O governador poderia ter brigado com o presidente da República, mas ele preferiu conduzir até o momento em que o presidente disse que o modelo seria o que o governador e os paranaenses defendem. O modelo será o do menor preço, a garantia das obras e a transparência”, explica.

Esses e outros assuntos podem ser conferidos no vídeo que acompanha essa matéria.

0 visualização0 comentário